ESCOLA ASTEKA

Loading...

TOTAL DE VISITAS

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A parábola do faixa preta

  Imagine um lutador de artes marciais ajoelhado na frente do mestre sensei, numa cerimônia para receber a faixa preta obtida com muito suor.
    Depois de anos de treinamento incansável, o aluno finalmente chegou ao auge no êxito da disciplina.
    "Antes que eu lhe dê a faixa você tem que passar por outro teste" , diz o sensei.
    "Eu estou pronto", responde o aluno, talvez esperando pelo último assalto da luta. "Você tem que responder à pergunta essencial: qual é o verdadeiro significado da faixa preta?"
    "O fim da minha jornada", responde o aluno, "uma recompensa merecida pelo meu bom trabalho".
    O sensei espera mais. É óbvio que ainda não está satisfeito. Por fim, o sensei fala: "Você ainda não está pronto para a faixa preta. Volte daqui a um ano."
    Um ano depois, o aluno se ajoelha novamente na frente do sensei.
    "Qual é o verdadeiro significado da faixa preta?", pergunta o sensei.
    "Ela significa a excelência e o nível mais alto que se pode atingir em nossa arte." responde o aluno.
    O sensei não diz nada durante vários minutos, esperando. É óbvio que ainda não está satisfeito. Por fim ele fala: " você ainda não está pronto para a faixa preta. Volte daqui a um ano."
    Um ano depois, o aluno se ajoelha novamente na frente do sensei e mais uma vez o sensei pergunta: "qual é o verdadeiro significado da faixa preta?"
    "A faixa preta representa o começo - o início da jornada sem fim de disciplina, trabalho e a busca por um padrão cada vez mais alto." , responde o aluno.
    "Sim. Agora você está pronto para receber a faixa preta e iniciar o seu trabalho!"
   

A parábola do faixa preta

  Imagine um lutador de artes marciais ajoelhado na frente do mestre sensei, numa cerimônia para receber a faixa preta obtida com muito suor.
    Depois de anos de treinamento incansável, o aluno finalmente chegou ao auge no êxito da disciplina.
    "Antes que eu lhe dê a faixa você tem que passar por outro teste" , diz o sensei.
    "Eu estou pronto", responde o aluno, talvez esperando pelo último assalto da luta. "Você tem que responder à pergunta essencial: qual é o verdadeiro significado da faixa preta?"
    "O fim da minha jornada", responde o aluno, "uma recompensa merecida pelo meu bom trabalho".
    O sensei espera mais. É óbvio que ainda não está satisfeito. Por fim, o sensei fala: "Você ainda não está pronto para a faixa preta. Volte daqui a um ano."
    Um ano depois, o aluno se ajoelha novamente na frente do sensei.
    "Qual é o verdadeiro significado da faixa preta?", pergunta o sensei.
    "Ela significa a excelência e o nível mais alto que se pode atingir em nossa arte." responde o aluno.
    O sensei não diz nada durante vários minutos, esperando. É óbvio que ainda não está satisfeito. Por fim ele fala: " você ainda não está pronto para a faixa preta. Volte daqui a um ano."
    Um ano depois, o aluno se ajoelha novamente na frente do sensei e mais uma vez o sensei pergunta: "qual é o verdadeiro significado da faixa preta?"
    "A faixa preta representa o começo - o início da jornada sem fim de disciplina, trabalho e a busca por um padrão cada vez mais alto." , responde o aluno.
    "Sim. Agora você está pronto para receber a faixa preta e iniciar o seu trabalho!"
   

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

CREF E ARTE MARCIAIS

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO - SÃO PAULO DECRETA O FIM DA
INTERFERÊNCIA DO CREF-4/SP SOBRE O AIKIDO E ARTES MARCIAIS EM GERAL
Em função da decisão judicial ora abordada, nenhuma entidade administradora do Aikido – confederação, federação, liga, etc –, nenhuma associação, academia, clube, ou escola onde se pratique o Aikido e, por via de conseqüência, nenhum praticante, instrutor ou professor da referida arte marcial, estão obrigados a cursar uma faculdade de Educação Física, ou registrar-se no Conselho Regional de Educação Física, bem como pagar quaisquer taxas ou emolumentos e muito menos sujeitarem-se à fiscalização dos referidos órgãos.
Portanto, o Aikido em especial, e as artes marciais em geral, estão definitivamente livres da interferência dos Conselhos Federal e Regionais de Educação Física, no Estado de São Paulo e em todo o Brasil.
Como decorrência de toda a problemática consubstanciada na citada e irregular interferência do Cref4/SP e demais Conselhos Regionais de Educação Física sobre as artes marciais, e preocupado com o futuro destas últimas, elaborei um projeto de lei federal, objetivando a criação da figura legal do profissional das artes marciais e de órgãos federais e estaduais de natureza autárquica, que tenham como principal escopo, a normatização e a fiscalização da prática das artes marciais e de lutas no Brasil, e o entreguei ao Deputado Federal Roberto Santiago, do Partido Verde em São Paulo, que enviou o mesmo à sua assessoria jurídica, para análise e eventual encaminhamento oficial ao Poder Legislativo.

domingo, 29 de janeiro de 2012

EXPLICAÇÃO SOBRE AS FAIXAS



A FAIXA BRANCA (Shiro Obi) – Sem graduação (Mu Kyu):
Essa é a cor do desprendimento.
O branco reflete todas as cores. A própria cor dessa faixa indica que o seu portador ainda possui a ingenuidade e deve procurar manter a mente limpa. Entretanto, ele tem em potencial, todas as cores das demais faixas posteriores e assim como o fogo está na pedra, cabe a ele, faze-lo brotar através da fricção do treino árduo.
A busca nesse grau é pela purificação e transformação, diante do infinito conhecimento que tem diante de si.Essa faixa nos diz que o iniciante deve buscar a humildade e a imaginação criativa, através da limpeza e da claridade dos pensamentos. É a cor síntese do arco-íris e a mais associada ao sagrado, pois simboliza paz, pureza, perfeição e especialmente o absoluto.
Ela nos diz que devemos buscar a pureza, sinceridade e a verdade; repelindo os pensamentos negativos, procurando elevá-los, para que encontremos o equilíbrio interior, segurança e desenvolvamos o instinto e a memória.
O branco simboliza uma espécie de coringa, para todos os propósitos, é o substituto para qualquer cor, assim como uma tela em branco esperando para ser pintada.

A FAIXA AMARELA (Kiiro Obi) – 6º Kyu (Rokku Kyu):
Assim como um sol que desponta todos os dias, ela significa que é um iniciante ou um recém nascido no Karatê, que com o tempo irá crescendo e fortalecendo-se, até chegar à maturidade que corresponde à faixa preta.
Assim como o sol nascente o conhecimento começa a aflorar para o iniciante. Agora ele pode vislumbrar um pouco da iluminação da descoberta e da realidade do que é o Karatê. Entretanto, assim como o amarelo é uma cor primária, isto é, não pode ser formado pela mistura de outras cores, ele também deve manter-se puro dentro da escola de Karatê que escolheu ainda evitando misturar outras coisas aos conhecimentos que está recebendo para não se confundir dentro da senda do verdadeiro karatê.
Assim como essa cor, essa graduação lhe traz a alegria, a vida, o calor, a força, a glória, o poder mental e representa o descobrimento. Ela lhe desperta novas esperanças no caminho, dando-lhe vivacidade, alegria, desprendimento e leveza. Agora ele deve procurar desinibir-se para desenvolver seu brilho, mas também diminuir a ansiedade e as preocupações, construindo sua confiança, energia e inteligência na solução dos problemas que surgirão.
A cor dessa graduação mostra que o praticante deve reter conhecimentos e desenvolver a luz da sabedoria e da criatividade, e assim como o sol, ela deve trazer a luz para as situações difíceis.
O Amarelo simboliza: criatividade, as idéias, o conhecimento, alegria, juventude e nobreza. Apesar do amarelo estar relacionado ao elemento terra, também é uma cor Yang e representa o descobrimento e a abertura para o conhecimento do Karatê.

A FAIXA VERMELHA (Aka Obi) – 5º Kyu (Go Kyu):
A cor vermelha sugere motivação, atividade e vontade. Ela atrai vida nova e pontos de partida inéditos.
Essa é a cor do fogo, da paixão do entusiasmo e dos impulsos é a cor mais quente, ativa e estimulante. Ainda é uma cor primária que não pode ser formada pela mistura de outras cores, mostrando assim, que o praticante ainda deverá manter-se puro e fiel ao estilo de Karatê que elegeu.
Essa faixa, pela sua vibração, dá mais energia física, mostrando que agora, mais do que nunca é necessária força de vontade para não desistir da conquista dos seus ideais. Persistência, força física, estímulo e poder são seus traços típicos.
Embora o vermelho represente agressividade, perigo, fogo, sangue, paixão, destruição, raiva, guerra, combate e conquista, também simboliza aquilo que deve ser contido pelo seu portador. Esta cor faz com que você se sinta mais vigoroso, expansivo e pronto para avançar adiante em algum sentido evidente. Ela tende a atrair o olhar das pessoas e chamar a atenção. Se você usar vermelho, isso pode indicar que tem ardor e paixão, ferocidade e força. As pessoas que gostam de ação e drama apreciam essa cor. É uma cor de uma energia muito forte e o praticante deve ter o cuidado e a persistência para não se deixar ser vencido por ela e desistir do caminho.Sendo a cor do sangue, o vermelho também está relacionado à vida e à força de uma energia vital máxima. Esta é uma cor Yang.

A FAIXA LARANJA (Daidaiiro obi) – 4º Kyu (Yon Kyu):
Esta é uma cor que é a mistura do vermelho com o amarelo, representado que o conhecimento dos graus anteriores deve estar contido nesta graduação e trazendo as qualidades dessas duas cores. Nos diz que devemos procurar o sucesso no treino diário, agilidade, adaptabilidade, estimulação, atração e plenitude.
Essa cor também simboliza aquilo que o praticante deve buscar: o encorajamento, estimulação, robustez, atração, gentileza, cordialidade e tolerância.
Esta é a cor da comunicação, do calor afetivo, do equilíbrio, da segurança e da confiança. Quem chega nessa faixa deve acreditar que agora tudo é possível, pois essa cor estimula o otimismo, generosidade, entusiasmo e o encorajamento.
A cor laranja mostra ao praticante que ele deve fortalecer as energias e a sua vontade de vencer.A cor laranja está situada entre o elemento fogo e o elemento terra, portanto, carrega um pouco das características dos dois elementos. Também é uma cor Yang.

A FAIXA VERDE (Midori Obi) – 3º Kyu (Sankyu):
O verde é uma cor que representa Esperança e a Fé. É a cor mais harmoniosa e calmante de todas. Ela simboliza harmonia e equilíbrio.
Essa cor, que nos chega depois das cores quentes iniciais, nos dá a impressão de que chegamos a um oásis, depois de atravessar um árduo deserto, mas devemos saber que ainda há mais deserto a vencer.
Ela também representa as energias da natureza, esperança, perseverança, segurança e satisfação; fertilidade. O portador deve procurar desenvolver a sua sensibilidade para se comunicar com a natureza interna e externa a si mesmo.
Significa também a harmonia em que devemos estar com ela, junto com o ar, a água e o fogo, elementos da vida que proporcionam bem-estar ao ser humano.
Essa cor simboliza uma vida nova, a energia, a fertilidade, o crescimento e a saúde. Por outro lado, quando em mau aspecto, mostra um orgulho excessivo, superioridade e arrogância.
O verde é ligado ao elemento madeira e a primavera.
Representa o crescimento, desenvolvimento, natureza e saúde. Também significa a etapa da juventude, estando relacionado a este estado emocional, mostrando, assim, que os conhecimentos ainda não se encontram bem claros ou maduros para os praticantes; ainda lhes falta amadurecer mais e delineá-los melhor.
A FAIXA ROXA OU VIOLETA(Murasaki Obi) – 2º Kyu (Nikyu):
O roxo é uma mistura das cores azul e vermelho.Essa é a cor usada pelos sacerdotes católicos para refletir santidade e humildade.
Ela gera sentimentos como respeito próprio, dignidade e auto-estima.
Esta é uma cor metafísica. É também a cor da alquimia, das transformações e da magia. Ela é vista como a cor da energia cósmica e da inspiração espiritual.
A cor violeta é excelente para purificação e cura dos níveis físico, emocional e mental.
Simboliza: dignidade, devoção, piedade, sinceridade, espiritualidade, purificação e transformação. Quando em mau aspecto determina manias e fanatismo.
Representa o mistério, expressa sensação de individualidade, influenciando emoções e humores, mas também simboliza a dignidade, a inspiração e justiça. Gera tensão, poder, tristeza, piedade, sentimentalidade.
Tendo isso tudo em mente, a cor desta graduação nos indica que devemos encontrar novos caminhos e a elevar nossa intuição espiritual.

A FAIXA MARROM (Chairo Obi)– 1º Kyu (Ichi Kyu):
É a cor da solidificação. Representa a constância, a disciplina, a uniformidade adquirida e a observação das regras mantidas até aqui.Representa a conexão do praticante com o patrono do estilo que lhe foi passado, representado por seus mestres.
Para criar essa cor, você precisa misturar o vermelho com o preto e, portanto, ela tem alguns dos seus atributos. Também representa a autocrítica e a dependência dos mestres para chegar até aqui. Significa que se está completando o processo de amadurecimento, tanto nos conhecimentos técnicos quanto no aspecto mental.
Essa faixa, pela sua cor, emana a impressão de algo maciço denso, compacto.
Sugere segurança e isolamento. Representa também uma poluição que deve sempre ser limpa, através da prática fiel aos princípios do Budô.
Uma pessoa que gosta de vestir-se com marrom por certo é extremamente dedicada e comprometida com seu trabalho, sua família e seus amigos.
A cor marrom gera organização e constância, especialmente nas responsabilidades do cotidiano. As pessoas que gostam de usar essa cor são capazes de ir "à raiz das coisas" e lidar com questões complicadas de forma simples e direta. São pessoas "sensatas".

A FAIXA PRETA (Kuro Obi) – 1º Dan (Sho Dan):
É a junção de todas as cores. Enfim o corpo e a mente chegaram ao final de uma jornada e ao início de outra mais elevada.A faixa na cor preta, representa humildade, autocontrole, maturidade, serenidade, disciplina responsabilidade, dignidade e conhecimento. É a cor do poder, induz a sensação de elegância e sobriedade. Onde o que está fora não entra e o que está dentro não sai. Nesta graduação é quanto atingimos  o pico da montanha ai  mais do que nunca o karatedoca  kuro obi  precisa de seu Shihan pois chegar no pico é muito dificio mais permanecer nele  e para permanecer nele a constante deve ser no dojo.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

VOCABULÁRIO USADO NO DOJÔ


1 – Ichi;
 2. Ni
 3. San
 4. Shi
 5. Go
 6. Roku 7. Shithi
 8.Hachi
 9.Keu 
10.Dyu
20 – niju;
30 – sanju;
100 – hyaku
Outras formas de contar
-Esta forma assemelha-se com nossa contagem decimal,servo por exemplo pra expor uma contagem tecnica.
1 – Ippon;
2 – Nihon;
3 – Sanbon;
4 – Yohon;
5 – Gohon;
6 – Roppon;
7 – Nanahon;
8 – Happon;
9 – Kyuhon;
10 – Juppon;

Palavras:
Age – Ação de erguer, levantar
Ai hanmi – Posição relativa de dois praticantes, com a mesma perna à frente
Aikido – Literalmente: via da harmonização da energia
Ashi – Perna, pé
Ashi barai – Varrimento com o pé
Atama – Cabeça
Atemi – Batimento
Awase – Combinação, junção, harmonização
Ayumi – Andamento
Barai – Varrimento
Bo – Pau longo
Bojutsu – Técnicas de bastão
Bokken – Sabre de madeira
Bu, Bushi – Guerreiro
Budo – Caminho do guerreiro, artes marciais
Chi – Palavra chinesa para energia vital, o mesmo que “Ki”.
Chudan – Nível médio (do pescoço até à cintura)
Dachi – Posição
Dai – Grande
Dan – Nível, grau ( faixa preta )
Do – Via, caminho
Dojo – Local de treino de Budo
Embusen – Diagrama de uma kata
Empi – Cotovelo, o mesmo que “hiji”
Fumi – Esmagar
Gedan – Nível baixo (da cintura para baixo)
Geri – chute
Gi – Fato para a prática de Budo composto de Uwagi (casaco), Zubon (calça) e Obi (cinto)
Go-no-sen – Táctica de deixar o oponente atacar primeiro para contra-atacar
Gyaku – Contrário, inverso
Hajime – Iniciar, começar
Happo – Oito direções
Hara – Abdômen
Heiko – Paralelo
Henka – Mudança (de posição)
Hidari – Esquerda
Hiji – Cotovelo
Hiki-te – Recuo do punho até o quadril
Hiza – Joelho
Ho – Direção, sentido
Ho – Método
Ippon – Um (ponto, passo, ataque, etc.)
Ippon-kumite – Exercícios com parceiro com 1 ataque 1 defesa
Irimi – Movimento de entrada (no círculo do adversário)
Jitsu (jutsu) – Técnica
Jiyu – Livre
Jiyu-ippon-kumite – Combate livre (controlado) com um só ataque
Jiyu-kumite – Exercícios controlados com parceiro em que as formas de combate são livres
Jo – Alto
Jodan – Nível alto (do pescoço para cima)
Joseki – Lado superior, lugar de honra no Dojo.
Ju – Suavidade, suave
Judo – Caminho da suavidade
Ju-kumite – Combate em suavidade
Kagi, Kake – Gancho, enganchar
Kaisho-waza – Técnicas com mão aberta
Kakato – Calcanhar
Kamae – Posição de defesa
Kamaete – Ordem para tomar a posição
Kara – Vazio
Karada – Corpo, o mesmo que “tai”
Karate-do – Caminho das mãos vazias
Kata – Forma de treino, com ou sem parceiro, com seqüências de técnicas predeterminadas
Katana – Espada
Keage – Movimento ascendente rápido
Keiko – Treino
Kekomi – Movimento penetrante
Ken – Sabre, espada
Kendo – Arte da esgrima japonesa
Keri (Geri, em composição) – chute
Ki – Energia, força vital, espírito
Kiai – Exteriorização da energia através de grito
Kihon – Técnicas de base
Kime – Concentração de energia física e mental, decisão
Kiritsu – Levantar
Ko – Pequeno, posterior
Kohai – Praticante mais novo, o contrário de Sempai
Kokoro – Espírito, coração
Kokyu – Força respiratória
Koshi (goshi, em composição) - quadril
Kote – Pulso
Kumite – Combate
Kuzushi – Desequilíbrio
Kyu – Grau de aluno
Kyusho – Pontos vitais
Maai – Distância correta
Mae – Frente
Maki – Enrolar

Makiwara – Alvo tradicionalmente de palha enrolada para treino de Karate-do ou Kyudo
Mawashi – Movimento circular
Midale – Método de treino de Karate-do que consiste em ataques e esquivas contínuas
Migi – Direita
Mokuso – Literalmente: não pensar. Atitude de concentração executada durante o cerimonial de início e final da prática de Budo
Morote – Ambas as mãos
Neko – Gato
Nobashi – Extensão, ação de esticar
Nukite – Ataque com os dedos juntos e esticados
O – Grande
Okuri – Deslizar
Osae – Imobilização
Otagai-ni-rei – Saudação mútua
Otoshi – Movimento de cima para baixo
Randori – Combate livre
Rei – Saudação
Reigi – Etiqueta, regras de conduta
Ritsu-rei – Saudação de pé
Ryo – Ambos
Ryu – Estilo, escola
Sabaki – Esquiva
Sai – Arma em forma de tridente originária de Okinawa
Samurai – Guerreiro japonês
Sanbon-Kumite – Combate com três ataques
Sasae – Sustentar, suportar
Seiza – Sentar na posição de joelhos
Sempai – Aluno mais graduado, mais antigo
Sen-no-sen – Antecipação
Sensei – Professor
Sensei-ni-rei – Saudação ao professor
Shiho – Quatro direções
Shikko – Andar na posição de joelhos
Shin – Espírito
Shinai – Espada de bambu usada na prática de Kendo
Shisei – Posição, postura
Shizentai – Posição natural do corpo, de pé
Sho – Pequeno
Shomen – De frente
Shomen-ni-rei – Saudação para a parede principal do dojo
Shuto – Sabre da mão (lado do dedo mínimo)
Sokuto – Sabre do pé, lado do dedo mínimo
Soto – Exterior
Tai – corpo, o mesmo que “karada”
Tai-sabaki – Esquiva do corpo
Tanto – Punhal
Tate – Vertical
Te – Mão
Tettsui – Parte lateral exterior do punho
To – Distante, longe
Tobi – Saltar
Tokui – Mais forte
Tokui-waza – Técnica mais forte, favorita
Tomoe – Circular
Tori – O que ataca, o que executa
Tsuki – Soco, murro
Uchi – Interior
Ude – Braço, antebraço
Uke – O atacante, na prática a dois; o que executa a queda
Ukemi – Queda, enrolamento
Ura – Movimento realizado rodando; as costas do adversário
Uraken – Costas da mão
Ura-mawashi – Pontapé circular para trás
Ushiro – Atrás, para trás
Wakizashi – Espada mais curta
Waza – Técnica
Yakosoku – Combinado, sem resistência
Yame – Parar
Yasume – Ordem de descontrair
Yoi – Ordem de atenção, preparar
Yoko – de lado, lateral
Zanshin – Atitude de concentração
Zen – Frente
Zen – Disciplina japonesa, uma das correntes do Budismo

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SENSEI IVANILDO AMORIN COM SEUS KOHAIS EM CANINDÉ.. SENSEI IVANILDO CHEFE DA ESCOLA ASTEKA EM CANINDÉ,ONDE DESENVOLVE UM EXELENTE TRABALHO NESTA REGIÃO.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

CONDUTA NO DOJO


   Um Dojô (escola) de Karatê segue rigorosamente as regras tradicionais da boa conduta. Seu espírito provém diretamente do Fundador do Karatê e é um lugar onde são transmitidos os seus ensinamentos. Cabe a cada estudante honrá-lo e segui-lo com sinceridade.

Quando você entra no Dojô, entra num mundo diferente, num mundo de guerreiros. Pode ser um lugar de respeito e amistosa camaradagem - ou um covil de paranóia e desconfiança. No dojô de Karatê, atacamos e somos atacados, aprimorando a nossa capacidade de responder intuitivamente. É a corrente subjacente de etiqueta e comportamentos sociais que nos permite praticar em segurança, disciplinar e redirecionar as reações agressivas e desenvolvendo os sentimentos de compaixão e respeito.

A cerimônia que abre e fecha cada pratica de Karatê, representa uma reverencia formal do Karatê, depois faz-se uma reverencia ao Fundador e uma última entre sensei/shihan e kohai. As reverencias ao Sensei simbolizam o respeito pelo espírito e ensinamentos do Karatê, como também a gratidão pelo fundador que desenvolveu esse sistema de pratica e estudo..

A correta atitude de respeito, sinceridade e humildade, bem como a atmosfera adequada, são essenciais para o processo de aprendizado; e, como o Karatê é uma arte marcial, constituem ingredientes imprescindíveis para a segurança de cada indivíduo.

As regra seguintes são necessárias para a manutenção dessa atmosfera e vitais para o estudo do Karatê.

1) É responsabilidade de todos manter as regras tradicionais de conduta no Dojo, este espírito vem do Fundador e deve ser respeitado, honrado e mantido.

2) É de responsabilidade de todos criar uma atmosfera positiva de harmonia e respeito.

3) O Dojô não deve ser utilizado para outro fim a que se destina, salvo expressa ordem do Sensei (professor).

4) A limpeza é uma oração de agradecimento, é dever de todos executar a limpeza física e de coração.

5) É decisão do Sensei se irá ou tomar você como kohai. A técnica não se compra. A taxa mensal de contribuição garante o local do treinamento e da à você a oportunidade de mostrar um pouco de gratidão pelas lições recebidas. O estudante deve pagar a contribuição na data marcada.

6) Respeitar, Respeitar e Respeitar, é um pensamento constante em um Dojô.

7) É dever moral de todos usar as técnicas aprendidas para fins pacíficos visando sempre construir, é muito fácil quebrar ou machucar alguém, mas concertar o dano nem sempre é possível.

8) Procure controlar o seu ego no dojô; O Dojô de Karatê não é um ringue de competição de vaidade.

9) A insolência (mau comportamento) jamais será tolerada, devemos ter sempre consciência das nossas limitações.

10) Cada pessoa tem condições e razões diferentes para treinar, devemos respeitar suas expectativas.

11) Jamais se deve contra argumentar com o sensei, não há lugar para discussões em um Dojô.

12) Nunca deixe de fazer a reverência ao sensei ao entrar ou sair do Dojô.

13) O respeito com seu uniforme de treinamento o karatê - gi, é fundamental, este deve sempre estar limpo em boas condições e aparência.

14) O Dojô não é praia, sente-se sempre em seiza ou com as pernas cruzadas no estilo japonês caso tenha problemas no joelho, evite encostar-se nas paredes.

15) Quando o Sensei demonstra uma técnica, fique sempre em seiza, ou zanchin após faça uma reverência, e comece imediatamente a praticar.

16) Quando o final de uma técnica é assimilada, cumprimente o parceiro e vá imediatamente para o lugar de início da aula.

17) se for absolutamente necessário perguntar algo ao Sensei (professor), vá até ele NÃO o chame para si.

18) Respeite os kohais mais experientes, jamais discuta se as técnicas estão erradas ou não.

19) Se você não é Yudansha (faixa preta) não corrija ninguém sem que o seu  shihan o designe para tal tarefa.

20) Não converse em no dojo assuntos irrelevantesao karatê porque Karatê é experiência.

21) É responsabilidade de todos manter o Dojo limpo, de preferência deve ser varrido diariamente e antes de cada treino.

22) Não se deve usar jóias, mascar coisas no tatame. Além do corpo somente se usa o karate-g.

23) Se você precisar sair temporariamente do Dojô peça autorização ao Sensei mas faça isso somente em caso de extrema necessidade.

Oss!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

terça-feira, 30 de março de 2010


Escola ASTEKA campeã kata equipe.
Viva gente 3º lugar kata equipe. (alunos vinculados da escola ASTEKA)

sábado, 18 de julho de 2009

Shihan Romilson Mariano 4º dan

videoII CAMPEONATO BRASILEIRO DE KARATE BUDO-TERESINA-PI-05/07/2009

REPRESENTAÇÃO DA ESCOLA ASTEKA

ALUNOS E SENSEI JUNTOS NO II CAMPEONATO BRASILEIRO DE KARATE BUDO. " NOSSA VITÓRIA VAI PARA NOSSO SHIHAN FRANCISCO DJALMA QUE NÃO PODER ESTAR COM NOSCO FISICAMENTE NO EVENTO,MAS TECNICAMENTE SIM, POIS TODOS GUIAKO-ZUKI ,MAWASHI,ZENKUTSU, APRENDEMOS COM ELE" ....

terça-feira, 31 de março de 2009

Os katas do Shotokan

O KATAS são a essência do estilo de karatê, neles estão contidas as técnicas de grandes mestres. Cada kata representa uma situação diferente pela qual o carateca esta passando.
TAIKYOKU (A Criação): Este representa, na verdade, três Kata, na ordem Shodan, Nidan e Sandan. Não é utilizado hoje em dia, era utilizado para introduzir iniciantes, já que é o mais fácil dos kata para ser aprendido. Consiste nos bloqueios e ataques mais útil na prática das técnicas básicas. Este Kata e o Ten No Kata (descrito adiante) são os produtos de muitos anos de pesquisas sobre a arte do Karate. Quando praticados regularmente resultam no desenvolvimento equilibrado do corpo e na estável habilidade para suportar o corpo corretamente. Além disso, o aluno que adquiriu proficiência nas técnicas básicas e compreende a essência do Kata Taikyoku, irá valorizar o real significado deste princípio: “No karate não há vantagem no primeiro ataque”.
HEIAN (Paz e Tranqüilidade): Há cinco formas de Heian (shodan, nidan, sandan, yodan, godan), contendo uma grande variedade de técnicas, sendo quase todas relacionadas a posturas básicas. Alguém que tenha aprendido estas cinco formas pode estar seguro que é capaz de defender-se com muita habilidade na maioria das situações. O significado do nome deve ser levado em consideração neste contexto. Observa-se que as formas indicadas aqui como Shodan (primeira) e Nidan (segunda) estão inversas em relação à sua ordem tradicional. Esta mudança foi introduzida após considerar seus vários pontos de dificuldade e facilidade para o ensinamento.
TEKKI (Cavaleiro de Ferro) ou (Andar a Cavalo): O nome refere-se a característica distinta deste Kata que é sua postura Kiba-dachi, como montar a cavalo. Neste as pernas são fortemente posicionadas bem abertas, como se fosse para sentar no dorso de um cavalo, e a tensão é aplicada nas bordas externas das solas dos pés com a sensação de concentrar a força em direção ao centro, sendo praticado para o desenvolvimento do kime (força).
BASSAI (Romper a Fortaleza) ou (Atravessar a Fortaleza): É um kata que reuni as principais técnicas básicas do karate Shotokan. Este sugere o confronto contra um adversário superior, que não tenha pontos fracos (fortaleza), no qual o praticante terá que superar os seus próprios limites para conseguir a vitória. Há duas formas de Bassai (Dai,e Shô).
KANKU (Olhar Para O Céu) ou (Contemplar o Céu): O nome deste Kata derivou-se originariamente do mesmo introduzido por Ku Shanku, integrante do exército Chinês. O nome refere-se ao primeiro movimento do Kata, no qual levanta-se as mãos e olha-se para o céu. Há duas formas de Kanku (Dai e Shô), um curta e outra longa.
JITTE (Dez Mãos) ou (Dez Técnicas): Nas formas remanescentes pertencem ao estilo Shorei, os movimentos são um tanto mais pesados quando comparados àqueles do estilo Shorin. A postura é bastante audaz. Proporcionam um bom condicionamento físico, embora sejam difíceis para iniciantes. O nome Jutte sugere que alguém que tenha aprendido este Kata é tão eficiente como dez homem de uma só vez.
HANGETSU (Meia-Lua): Nos movimentos para frente, neste Kata, são descritos semicírculos com as mãos e os pés de maneira característica, sendo seu nome derivado deste fato. Um das grandes características é a respiração, sendo devidamente trabalhada de forma sincrônica com os movimentos.
ENPI (O Vôo Da Andorinha): A movimentação característica deste Kata é o ataque a um nível mais acima do solo. Na seqüência segura-se o opoente e o induz a permanecer em uma posição específica, simultaneamente avançando e atacando novamente. O movimento representa o vôo rápido e ágil da andorinha. Sem dúvida um dos katas mais rápidos do estilo.
GANKAKU (O Grou Sobre a Rocha): A característica deste Kata é a postura em uma só perna que ocorre repetidamente. Representa a visão esplêndida de uma garça pousada em total equilíbrio em uma pedra, prestes a lançar-se sobre a sua vítima.
JION (Amor e Gratidão): Este é o nome original e tem aparecido freqüentemente na literatura chinesa desde os tempos antigos. O Jionji é um famoso velho templo Budista, e há um santo Budista bastante conhecido chamado Jion. O nome sugere que o Kata tenha sido introduzido por alguém identificado com o Templo Jion, assim como o nome Shorin-ji Kempo deriva de uma relação com o Templo Shorin. É um kata de base pesadas.
CHINTE (Mãos Estranhas) ou (Técnicas Estranhas): Possui este nome por conta de técnicas não tanto comuns, (dedo nos olhos) e coisas do gênero. Este trata de uma situação que o oponente tem uma vantagem física, tornando necessário atacar em ponto do corpo onde não haja vantagem física.
UNSU (Mãos e Nuvens):O Kata com o estilo do Dragão por Mestre Aragaki. Onde ele o treinou não se tem conhecimento, mas as grandes influências Chinesas neste Kata sugerem que tenha sido certamente em continente chinês. O nome usado em Okinawa é Unshou e significa “Defesa Contra A Nuvem”, ou seja, mesmo se seus inimigos cercarem você como uma nuvem, com certeza você os vencerá se tiver aprendido o Unsu. Este é sem dúvida o kata mais curioso do estilo Shotokan, possuindo técnicas das mais variadas formas, das mais simples as mais complexas, sendo somente indicado a praticantes de alto nível técnico.
SOCHIN (Espírito Inabalável): Este nome sugere que o praticante que o domine não temerá nada. É um kata de bases bastante pesadas primando para um bom desenvolvimento da base, postura e força.
NIJUSHIHO (Vinte e Quatro Passos): Um kata bem complexo apesar da pouca quantidade de movimentos. Este faz um rápida mudança de direção e um grande variação de técnicas de defesa e contra-ataque.
GOJUSHIHO (Cinqüenta e Quatro Passos): Há duas formas de Gojushiho (Dai e Shô)sendo estes uns dos maiores katas do estilo shotokan. Neles existem técnicas bem singulares não sendo vistas em nenhum outro kata shotokan.
MEIKYO (Espelho Limpo) ou (Espelho da Alma): Este é um Kata muito misterioso. Presume-se que os japoneses o conheciam muito antes que Mestre Funakoshi tenha introduzido o Karate de Okinawa no Japão. Há até mesmo uma lenda japonesa a respeito de Ameratsu, a deusa do sol. Ela havia perdido seu espelho e não podia admirar-se, ficando muito aborrecida. Desta maneira, o mundo ficou nas trevas. Finalmente os outros deuses decidiram que alguma coisa deveria ser feita, então enviaram um grande guerreiro para realizar a “Dança da Guerra” do lado de fora da caverna. A “Dança Da Guerra” foi nomeada Meikyô. Meikyo é traduzido como “O Espelho da alma”. O nome antigo para Meikyo era Rohai, o qual está agora voltando a ser usado.
JIIN (Amor e Proteção): Este segue o mesmo principio do JION, sendo um kata de base pesadas e sempre visando uma melhor postura do praticante.
WANKAN (Coroa Real):Esta Kata era conhecida no passado pelo nome de Shiofu e Hito que significava a Coroa do Rei. É a Kata mais curta do Karate Shotokan, só com um Kiai. Como não fazia parte do grupo inicial de katas introduzidas por Gichin Funakoshi no Japão, é geralmente aceito que foi o filho Yoshitaka Funakoshi que a introduziu no Shotokan, numa nova versão, por si trabalhada e modernizada. Devido a sua dimensão existe a idéia que é uma kata inacabada, cujo desenvolvimento foi interrompido com a morte precoce de Yoshitaka Funakoshi. Esta tese ganha significado já que as versões atualmente existentes em outros estilos de Okinawa, são bastante mais compridas. Um kata sem duvida singular, contendo técnicas básicas e avançadas como torções. É o menos do estilo shotokan.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Dia mundial do karatê

Pedido da Okinawa Karate Mundial (OKW), a Assembléia da cidade de Okinawa declarou o dia 25 de Outubro como o “Dia Mundial do Karate”. Decidiu-se por esta data, com a presença do governador de Naha, Keichi Inamine e o Secretário da Assembléia de Okinawa, Seizen Hokama. Em referência as instituições que aderiram a data, estão Okinawa Karatê do Renmei, Okinawa Ken Karatê do Renmei, Okinawa Karatê Kobudo Renmei e a Okinawa Ken Karate do Rengokai. Foi estabelecido como dia mundial do karatê para todos os estilos do mundo. Vários senseis direcionaram palavras com muita emoção.

O Sensei Kyoshi Tusa, da Federação de Karatê de Okinawa, relatou como matéria obrigatória os princípios de Karatê nas Universidades ao redor do país.”O Karatê deveria ser unificado mundialmente para melhorar o intercâmbio de informação e para praticar um só Karatê”

Da Federação Okinawense de Karatê e Kobudo, o Sensei Minoru Higa, deixou clara a importância de que o Karate competitivo e o Tradicional colaborem em unidade “São indispensáveis, mas ambos devem cooperar e reconhecer os pontos fortes do outro para crescer” expressou.

Da Escola Karatê- Do Rengokai de Okinawan, o shihan Eiki Kurashita, falou em nome da entidade quando disse “Espero que as pessoas mo mundo tome este dia como uma oportunidade de esforço para desenvolver a cultura do Karatê- Do “Por último, o shihan Seihan Shiroma, da Federação de Kobudo de Okinawa, reconheceu a iniciativa como uma excelente maneira de manter o valor cultural da arte marcial em questão.

segunda-feira, 23 de março de 2009

OS SETE PRINCIPIOS DO BUSHIDÔ

OS SETE PRINCIPIOS DO BUSHI-DÔ

O caminho do samurai é influenciado pela fusão budô-xiotista, pode ser resumido em sete princípios essenciais , sendo eles;

1. GI- A verdade. Atitude justa.Quando devemos dormir, devemos dormir, quando devemos lutar, Devemos lutar;

2. YU- Bravura;Coragem ou raciocínio inteligente e arrogância ou estupidez,

3. JIN- Amor universal ou amor incondicional.

4. REI-O comportamento justo, a cortesia ( ocupar harmoniosamente o espaço onde você esta)

5. MAKOTO- Sinceridade

6. MELYO-Honra conciencia real do que possui

7. CHUGI- Devoção e lealdade a tudo que você acredia.


quinta-feira, 20 de novembro de 2008

KARATE CEARENSE

KARATÊ CEARENSE
Foi no ano de 1967 que a estimada arte do karatê-do chegou em nossa terra da luz, por meio do oficial do exército brasileiro” JOAQUIM ANTONIO MAIA MARTINS” ou como é mais conhecido aqui no estado do Ceará entre nós karatecas “CAPITÃO MAIA MARTINS”. Prestou serviços como Capitão no Colégio Militar de Fortaleza (CMF) de 10 de Março de 1967 a 19 de Janeiro de 1972, sendo chefe da seção técnica de ensino(STE) e professor de Ciências Físicas e Biológicas. Foi neste período que ele introduziu o karatê no estado do Ceará. A primeira escola de karatê do estado foi a ASKACE”Associação de karatê do Ceará”, seguidas de ASKAFOR, TOXICAN, VERDES MARES , ASBEKA, GAUTAMA. DRAGÃO dentre outras que foram sendo fundadas no anos seguintes. Mas gostaríamos de lembrar que com a implantação do karatê foi criado um Departamento Técnico de Karatê na Federação Cearense de Pugilismo, que organizava os eventos e deixava os exames de faixa a critério e organização de cada Associação. Dia 12 de novembro de 1983 foi fundada a FCK- Federação Cearense de Karatê sendo assim a primeira federação de karatê do estado que posteriormente filiou-se a CBK “Confederação Brasileira de Karatê que foi fundada em 11 de Setembro 1987. Em 1987 foi fundada a Federação Cearense de Karatê Dô Tradicional. Dia 20 de agosto de 1995 foi fundada a FKIC ( Federação de Karatê Interestilos do Ceará)que com sua organização tem realizado um grande trabalho para o Karatê do Estado do Ceará. Hoje o Estado do Ceará é “DECA CAMPEÃO NORTE NORDESTE e BI CAMPEÃO BRASILEIRO DE KARATÊ INTERESTILOS. A Federação de Karatê Interestilos do Ceará realizou 2 campeonatos Brasileiros que até hoje serve de referência, pela organização e pela quantidade de Estados e atletas participantes. Foi palco sede do CAMPEONATO MUNDIAL DE KARATÊ ADULTO WKC, realizado no Ginásio Paulo Sarasate em Fortaleza no período de 22 a 26 de junho de 2005, quando o Brasil conquistou o título de CAMPEÃO MUNDIAL DE KARATÊ. Evento que contou com o apoio total do Governo do Estado do Ceará e Prefeitura Municipal de Fortaleza, dando total condição na preparação de nossos atletas que ficaram hospedados e concentrados no Ponta Mar Hotel durante 20 dias em regime de treinamento.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

TREINAMENTO EM PARAMOTI


A escola ASTEKA esta com tudo pois à 3 meses entrou também na cidade de Paramoti-Ce sobe responsabilidade do Sensei Marcos Rocha 2º dan.. nesta foto temos aqui alguns alunos dos nucleos da asteka de Canindé, Paramoti e Fortaleza...O segredo? trabalho sério,diginidade,respeito e gostar de karate de verdade!

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

SURGIMENTO DO SHOTO-KAN



O SURGIMENTO DO SHOTOKAN-RYU


No dia primeiro de setembro do ano de 1923,a cidade de Tóquio foi terrivelmente abalada pelo terremoto do grande Kanto, a maioria das construções foram destruídas pois eram quase todas de madeira e nas horas de fogo intenso que seguia logo quase tudo se reduzia a cinzas e ruínas e o temor foi devastador na capital do Japão. O dojô do sensei funakoshi felizmente escapou da destruição;mas muitos de seus alunos sumiram no holocausto dos edifícios em desmoronamento e labaredas.Os que sobreviveram fizeram tudo que podiam para socorrer os feridos e os desabrigados nos imediatos ai terrível desastre.Com os aluno que não ficaram multados ou feridos , sensei Funakoshi trabalhou com voluntário para obter alimentos para os refugiados do desastre e para limpar o entulho a auxiliar na tarefa de remover os cadáveres espalhados na cidade.
Diante da catástrofe o sensei Funakoshi precisou adiar temporariamente o ensino do karatê, todavia que não podia ser adiado era a sobrevivência.Depois de pouco tempo, ele conseguiu trabalho no banco de Daiichi Sogo, para tarefa de fazer estênceis. Sensei Funakoshi na se lembra quanto recebia ou por quanto tempo ficou empregado, mas pelo seus relatos , a sua locomoção diária desde o seu dojô em Suidobata ate o banco em Kyodacshi parecia continuar por incontáveis anos.
Conta-se um aspecto importante de sua caminhada diária, já que naqueles dias poucas pessoas usavam sapatos nas ruas das cidades japonesas;todos usavam sandálias ou tamancos de madeira chamados geta.Era um destes que sensei Funakoshi usava sempre para fortalecer as pernas, sempre avia feito isso na juventude em Okinawa, e não via motivo para mudar os hábitos quando se deslocava de seu trabalho no banco.os geta que usava eram de um só dente que ele e eram trabalhados em madeira bem pesada e faziam muito estalo ruidoso a cada passo.
Algumas pessoas na rua olhavam para ele com riso zombeteiro disfarçando, achando engraçado um homem naquela idade ,fosse toa tolo a ponto dede querer aumentar sua estatura,afinal sensei Funakoshi já passava dos cinqüenta anos de idade nesta época. No entanto, sempre assegurava que o motivo não era a vaidade: ele considerava os geta de um dente necessidade para o seu treinamento diário do karatê-do.
Com o passar das semanas e meses, Tóquio começou a reergue-se e finalmente chegou o tempo em que sensei Funakoshi percebeu que seu dojô estava em estado deplorável. O mesei juku havia sido construído em 1912 ou 1913, e por longo tempo nada havia cidoi feito para conserva-lo. O governo municipal de okinawa doou certa quantia em dinheiro, possibilitando que se fizesse as devidas reformas em seu dojô
Sensei Funakoshi procurou encontrar outra residência enquanto as obras eram realizadas, sabendo de sua necessidade , Hiromichi Nakayama, que então era um notável instrutor de esgrima e seu amigo , ofereceu-lhe o seu dojô nos horários em que não era usado para pratica da esgrima. Inicialmente foi alugado uma Pequena casa perto do dojô de nakayama, mas me pouco tempo foi possível alugar uma maior com pátio mais amplo, onde ele e os seus alunos pudessem praticar o karatê-do.
Chegou tempo porem que esse favor se tornou inadequado, o numero de alunos havia aumentado na mesma proporção do numero de alunos da esgrima. Como conseqüência disso sensei Funakoshi percebeu que estava sendo inconveniente para seu bem feitor e amigo. A situação financeira ainda era delicada e não podia fazer o que obviamente desejava: construir um dojô especifico par karatê-do.
Foi em meados de 1935 que um comitê nacional de patrocinadores de karatê-do solicitou verbas para o primeiro dojô a ser erguido no Japão. Foi com certo orgulho que na primavera de 1936 , sensei Funakoshi entrou pela primeira vez em seu dojô ( em Zoshigaya , distrito de Toshima) e vou em uma tabuleta com o nome do dojô SHOTO-KAN. Esse foi o nome que o comitê escolheu para adotar; sensei Funakoshi não tinha a menor idéia do porque eles escolheram o seu pseudônimo que usava na juventude,para assinar seus poemas que escrevia. Também estava triste, porque desejava que seus mestre Azato e Itosu viessem e ensinassem no novo dojô, mas eles já aviam falecido. No dia em que o dojô foi inaugurado senei Funakoshi retirou-se para seu quarto e queimou incenso rezando em memória de seus mestres.
Em seus momentos de devaneio, senei Funakoshi imaginava seus dois grandes mestre que pareciam-lhe sorri dizendo”bom trabalho Funakoshi! Mas não cometa erro d complacência, porque você ainda tem muito a fazer; hoje Funakoshi é apenas o começo.”
O começo? Sensei Funakoshi já tinha então quase setenta anos. Onde então ele encontraria o tempo e a força para fazer tudo que ainda precisava ser feito? Felizmente ele não parecia e nem se se sentia mais velho, determinou que como os seus professores exigiam , ele não poderia desistir. Eles disseram que ainda tinha muito o que fazer e vou trabalhar para ser feito; e de uma maneira ou outra ele faria.
Com o termino do novo dojô , uma de sua primeiras tarefas foi elaborar um conjunto de normas e serem seguidas (DOJO-KUN)e um horário de aula. Elaborou e também formalizou as existências para graus e classes (DAN E KYU) que certamente sofreu influencia do judô, uma vez que foi muito amigo de sensei Jigoro Kano. O numero de seus alunos começou a aumentar dia-a- dia,e o seu novo dojô que parecia mais adequado para suas necessidades inicialmente ,a cada dia que passava dava exatamente a impressão contraria.
Embora sempre dizer que não sentia o peso da idade,sensei Funakoshi começava a perceber que não conseguia cumpri toda as obrigações, que acumulavam todos os dias. Não era apenas o seu dojô que precisava de orientação ; mas as universidades de Tóquio que estavam também com grupos de estudo do karatê-do em seus departamentos de educação física, e esses grupos precisavam de suas orientações e instrutores
.claro que o sensei não dava conta de tudo sozinho então indicou alunos mais adiantados para ministrarem aulas nas universidades e também designou o seu terceiro filho como seu assistente, delegando-lhe as atividades diárias de dirigir o dojô e as universidades cabendo então ao sensei Funakoshi as supervisões necessárias do ensino do karatê-do. E relevante lembra que as aulas não se limitavam em Tóquio e muitos de seus alunos graduados já ministravam algumas aulas nas cidades provincianas, fato que fez o karatê-do ser conhecido mais rápido em todos o pais. Numerosos dojô foram construídos em todo Japão e com isso a missão do sensei Funakoshi aumentava a passos largos. Por isso deixava quase toda a administração do dojô aos seus alunos mais adiantados.
As pessoas sempre perguntavam como aconteceu a escolha do pseudônimo “SHOTO”(pinheiros ao vento ou calda de tigre) para nome do dojô mas seus discípulos sempre tinha a reposta certa e automática.
Sua cidade natal e rodeada por colinas com floresta de pinheiros ryu ryu e de vegetação subtropical, entre elas. O sensei Funakoshi sentia uma forte atração por esse lugar, isso porque ele era amante também da natureza pois crescera perto desta vegetação pois o fato de ser filho único o colocava sempre sozinho a perambular por sua cidadezinha; alem do fato der ser filho único era muito frágil.
Masatoshi Nakayama, aos 36 anos era conhecido pela excelente administração e capacidade; recebera o encargo de d elaborar e organizar a associação SHOTO-KAN, e em 1951 o jyu kumitê foi introduzido no shoto-kan de acordo com as
graduações pelo sensei Nakayama. Em 1954 quando ele fica sozinho na chefa da J.K.A,começa a trabalhar suas idéias como competições) a exemplo do judô e do kendo). Mas somente em 1957 depois da morte do sensei Funakoshi que os primeiros torneios foram realizados,pos o mesmo era contra implantação de competições de karatê-do por acreditar que o karatê perderia as suas características.
Em outubro de 1957 aconteceu o primeiro campeonato, com o patrocínio de Hirokasu Kanazawa no ginásio metropolitano de Tóquio.
Alguns anos mais tarde antes de falecer, o sensei Nakayama em uma entrevista declarou que esperou a morte do sensei Funakoshi para realizar o primeiro campeonato de karatê: “eu tinha receio de sensei Funakoshi por saber que ele era contra as competições, tinha receio de sua reação e ainda hoje tenho receio,digo a min mesmo será que fiz algum mal?eu tenho que fazer o que ele teria feito de fosse vivo. Em 1957 quando criei a competição fui me conscientizando que o judô e a kendo se tornaram esporte, mas sempre preservando o espírito do budô. Então porque não o karatê? E a competição eu penso tornou o karatê conhecido no mundo inteiro; e é por isso que eu acho que ele aprovaria o que fiz. Há momento no entanto, que não consigo deixar de me sentir inquieto.
Caso eu tenha me enganado no dia em que eu morrer e for me juntar ao sensei Funakoshi no paraíso.....nesse dia haverá um kumitê sagrado e será pior para mim.
Este é um pequeno prefacio sobre o SHOTO-KAN, é bom relatar ao leitor, que temos outras versões, sobro o SHOTO-KAN e o karatê em aspectos gerais.
O estilo SHOTO-KAN é ideal para longa distancia,por possuir técnicas longas e rápidas. Existe uma certa divergência em alguns katas e/ou pontos estratégicos contra as opiniões dos sensei’s NAKAYAMA, KANAZAWA, MISHIAMA E TAKAGI.









OS TRÊS GRANDES ESTILOS

O século XIX foi a época da expansão do karatê de Okinawa, correção e revista pelos habitantes da famosa ilha(hoje nos dias atuais)deste tao cultivados e misteriosos movimentos. Logo no inicio desse século, ou talvez já no final do século XVIII , os três grandes estilos vieram a tona trazendo seus grandes mestres(sensei, shihan ou hanshi) e seguidores.
SHURI-TE-RYU: Ao redor de shuri,(cidade de Okinawa)desenvolveu-se o shuri-te-ryu, suas técnicas lembram o norte da china no se trabalha muito os membros inferiores;deslocamento rápido ,esquiva, chutes altos , saltos e ate mesmo movimentos acrobáticos com ênfase na velocidade.E o estilo suave.
Por ensinar na cidade Shuri, o estilo “TE”de Sakugawa ficou conhecido como shuri-te-ryu. Sakugawa tinha quase 70 anos quando um jovem chamado Sokon Matsumura começou a treinar com ele. Matsumura revelou-se melhor aluno que Sakugawa já treinara e,depôs de morte dele , tornou-se um dos mais promitentes instrutores de shuri-te-ryu; e foi sua influencia que deu ensejo ao surgimento ao shorin-ryu, shito-ryu, shotokan-ryu e wado-ryu.
TOMARI-TE-RYU: Na cidade de Tomari formou-se este estilo que dava referencia a sua cidade de criação.

SHIHAN FUNAKOSHI





Nascido em Shuri distrito de Yamakawa-cho no ano de 1868, de família instruída,Gichin Funakoshi era filho único e uma criança frágil. Sentia-se constantemente solitário, tornou-se um homem de letras, poeta, filosofo e calígrafo. Era um celebre intelectual de sua época.
Começou a treinar karatê aos 12 anos de idade com o sensei Itosu e também com sensei Azato, tendo aprendido outros estilos com diversos grandes sensei’s da época. Com maestria consegui, consegui fazer de uma simples técnica, uma vereda espiritual então desconhecida, semelhante ao do monge Bodhidarma.
Assim sensei Funakoshi encentrou no zen-buismo o bushidô ou o caminho do guerreiro( bases filosóficas e espirituais das artes marciais zen , uma ponte para o autoconhecimento,paz e serenidade do espírito.
Sensei Funakoshi dava ênfase ao fato de sua metodologia proporcionando a oportunidade de chegar a verdadeira filosofia do karatê. Não somente pelos seus atos, mas pelo que diziam os seus alunos: dotado de uma tremenda força interior. Sua técnica tão apurada seus golpes de bloqueios vigorosos, que poucos alunos ousavam treinar com ele;ate em idade avançada.Sensei funakoshi executava os katas com perfeição impar de seu estilo.Ele foi intitulado pai do karatê moderno por por seus métodos notáveis de técnica avança, bem mais do que de sua ilha de origem baseando seu método na arte de auto defesa com ele costumava dizer “ karatê ni sente nashi”( no karatê não existe atitude ofensiva)
Mas foi somente em 1902 que sensei Funakoshi , depois de estudar métodos de combate,fez sua primeira demonstração do denominado Okinawa-te(mãos de Okinawa) a representantes da prefeitura de Kagoshima em Kyoto; que ate então todo e qualquer treinamento era efetuado em segredo.
Quinze anos mais tarde, em 1917, aconteceu a primeira demonstração oficial em Tóquio , perante a Butokuken (órgão gestor das artes marciais do Japão), chamando a atenção do príncipe Hirohito. Posteriormente em 1922, retornou para uma grande demonstração a pedido do imperador, na presença de aficcionados por artes marciais. Nessa viagem sensei funakoshi conheceu sensei Jigoro Kano fundador do judô, e o próprio sensei Kano que convidou sensei Funakoshi para fazer um demonstração na kokodan meca do judô na presença de vários mestre d época.
Jigoro kano pediu a sensei Funakoshi que lhe ensinasse algumas técnicas do karatê-do e então após esse fato nasceu uma grande amizade entre os dois mestres que ainda hoje é desconhecida por adeptos de amas as artes.(Dado este relato e de muito boa serenidade passar estas informações aos praticantes de artes marciais que conhecemos.)Mais tarde o mestre foi convidado a ministrar aulas pelo governo e difundir sua arte.Todo o seu empenho teve o devido mérito e critério pois sensei Funakoshi alterou algumas formas (kata) adaptando á realidade atual pois o karatê foi adotado como disciplina me varias universidades onde ate hoje é praticado periodicamente.
Ao abrir seu primeiro dojô no Japão em 1936,seus alunos o batizaram de shotokan , que significa “escola de shoto”. Shoto significa me japonês” pinheiro ou calda de tigre”- pseudônimo que sensei Funakoshi usava artisticamente para assinar seus poemas.

DOJO-KUN

Dojô-kun
Hitotsu. Jinkaku Kansei ni Tsutomuro Koto.
Primeiro.Esforçar-se para formação do caráter.
Hitotsu. Makoto no Michi wo Mamoru Koto.
Primeiro. Fidelidade para com o verdadeiro caminho da razão.
Hitotsu. Doryoku no Seishin o Yashinau Koto.
Primeiro. Criar o intuito de esforço.
Hitotsu.Reigi o Omonzuru Koto.
Primeiro. Respeitar acima de tudo.
Hitotsu. Kekki no Yu o Imashimuru Koto.
Primeiro. Reprimir o espírito de agressão.

sábado, 18 de outubro de 2008

SHIHAN FRANCISCO DJALMA

Shihan Francisco Djalma Souto Barreto,Cearense de Fortaleza teve seu inicio nos treinos de karatê em maio de 1979 com o então Sensei Marcos Túlio que na época não era 1° dan  pois treinar com um faixa preta era muito raro. Com este sensei o Shihan Francisco Djalma graduou-se 6º kyu (amarela), posteriormente ele teve oportunidade de treinar com o Sensei Fabio que era 1º dan e com ele o shihan Francisco Djalma chegou a 3º kyu (verde) porque o Sensei Fabio fora embora para o estado do Pará onde ate hoje é sua residência (acreditamos nós). Com a ausência do sensei Fabio o Shihan Francisco Djalma deu continuidade  de seus treinos com o então Shihan Francisco Lima Brasileiro que é um dos ícones do karatê Cearense.Shihan Francisco Lima Brasileiro chegou a ter treinos com o pai do karatê  Cearense Sensei( IM MEMORIA) Maia Martins ou como é mais conhecido por nós aqui no Ceara CAPITÃO MAIA MARTINS.
Shihan Francisco Djalma ao treinar com o Shihan Lima Brasileiro chegou a 1ºdan em 1989 e com ele treinou atÉ 2° dan pois por motivos de políticos e/ou administrativos saiu da escola do Shihan Lima Brasileiro (DRAGÃO), pois em 1995 com fundação da Federação de karatê interestilos do Ceará (FKIC) ele foi convidado a fazer parte da diretoria da mesma. Nesta federação ele desempenha a função de diretor de arbitragem e vice-presidente da referida federação; e também à nível nacional é Arbitro categoria “A” e membro da comissão nacional de arbitragem.
Shihan Djalma hoje Tem uma grande contribuição no crescimento do karatê cearense, é presidente da escola ASTEKA entidade que tem filiados em vários bairros de Fortaleza e atualmente em 2 interiores do Ceara ( Canindé e Paramoti ). Com a escola ASTEKA Shihan Francisco Djalma formou até hoje 23 faixas preta e é um dos Shihan’s que mais formou faixa pretas no Estado do Ceara.


Oss!

A PALAVRA OSS!

Em sânscrito , mantra (a palavra mantra tem dois componentes MAN=pensar e TRA= transcender , livra-se das armaduras, instrumento) a saber pode se traduzido como vocalização de uma letra, silaba, palavra, frase ou texto, com ou sem notas musicais cujo potencial vibratório emana toda a sua mensagem de comunicação.

A palavra oss, é um mantra de origem japonesa , e torna-se praticamente uma linguagem dentro do mundo do karatê-do, compreendida e trocada no meio de numerosos praticantes de varias nacionalidades e linhas técnicas , o que faz ter uma conotação universal , não somente nas ocasiões de encontros cotidianos mas também para substituir certas palavras ou expressões diárias tais como: bom dia, boa tarde, sim, não , entendi, não entendi, ouvi,certo etc.

Quando for usa-la para cumprimentar ou saudar, faça-o com firmeza e vigor, olhe nos olhos do outro e depois incline levemente demonstre respeito, sinceridade, confiança e segurança pelo seu semelhante; quando a saudação for em grupo se concentre em cada pessoa que esta no dojô, mesmo os que são simplesmente ouvintes.

A transição fonética do oss , escreve originalmente com dois caracteres chineses.

O primeiro caractere que significa literalmente pressionar, simboliza o espírito combativo, a importância do esforço de afrontar todos os obstáculos que venham ti desafiar.

O segundo caractere , que significa sofrer e o espírito de perseverança; suporta as dores e resiste os momentos de depressão com paciência e sem renunciar guardando sempre a serenidade.

A expressão oss , chama toda egregora de karateca ao esforço maximo para que se tomem um resolução , se comuniquem e coragem mutuamente, estando educados para o melhor caminho.

Quando foi ecoada pela primeira vez na escola naval, já ecoava todo poder d e seus princípios.

A palavra oss não pode nem deve ser pronunciada levianamente , pois devemos reexaminar nossa atitude ,postura estado de espírito , pronunciação e harmonia interior. Não queremos aqui impor um conduta padrão mais sim da um medida para que todo karateca possa ter um base nas teorias e aplicar na pratica.

Onde encontrar as escola Asteka?

R. Paraguaçu 834-Serrinha- Fortaleza-Ce
fone. 88083244
Shihan Francisco Djalma 5º dan


R. Jaime Benevolo- Fatima-Fortaleza-Ce- ACADEMIA CORPORE-SANO
fone. 3227-8300
Shihan Francisco Djalma 5ºdan

R. Menor Geronimo s/n Passaré-Fortaleza-Ce -ESPAÇO VIVA GENTE
fone.3101-3018/31013017
Sensei Elson araujo 1º dan



Av. 2 de Maio s/n-Passaré-Fortaleza-Ce- E.E.F RAIMUNDO DE MOURA MATOS
fone.
Kohai Franciso Carlos


R. Sitônio Monteiro s/n- Santa Luzia- Canindé-Ce- CSU
fone.99335586/99946359/88377127/88083244
Shihan Francisco Djalma 5º dan
Shihan Romilson Mariano 4ºn
Sensei Ivanildo Amorin 2º dan
Sensei Francisco Erilson 1º dan


EEFM. Senador Paulo Sarasati - centro de Paramoti-Ce
fone.99187802
Sensei Marcos Rocha 3º dan







POTÊNCIAS DO KARATÊ

Muitas pessoas têm a impressão errônea de que as armas do karatê são apenas as mãos (fechadas ou abertas) e os braços, os pés e as pernas. Entretanto, não é exagerado dizer que todas as partes do corpo, desde o topo da cabeça até a ponta dos dedos dos pés, podem ser usadas como arma. Por exemplo, do pulso para baixo existem pelo menos dez armas possíveis: o seiken (punho normal), o uraken (o dorso do punho), o shuken (o punho da mão), o ippon­ken (o punho de ponto único), o chükõken (outro punho de ponto único), o tettsui (o punho-martelo), o shutõ (a mão em espada), o nukite (a mão em lança), o ippon nukite (a mão em lança de um dedo) e o nihon nukite (a mão em lança de dois dedos). E do tornozelo para baixo: koshi (a bola do pé), o shusoku (o arco do pé), o sokutõ (pé em espada), o tsumasaki (a ponta do dedo), o enju (o calcanhar) e o sokkõ (o topo do pé). Outras áreas dos braços e das pernas usadas como armas são os pulsos, os cotovelos e os joelhos. Quase não há parte do corpo que não possa ser usada como arma.

CALENDÁRIO DESPORTIVO 2012 DA F.C.K.E

CALENDÁRIO DESPORTIVO 2012

MÊS

DIA

EVENTO

LOCAL

Fevereiro

25

10ª Festa do Ranking Cearense

A CONFIRMAR

26

Curso de arbitragem

Março

10 e 11

Curso e prova com credenciamento

01

XVIII Campeonato Cearense - Kata

Abril

29

X Copa Santa Isabel

Col. Santa Isabel

Maio

18 a 20

4º Zonal Norte Nordeste de Karatê Esportivo e Educacional

Parauapebas – Pa.

Junho

10

IV Copa Vale do Acaraú

Julho

Corrida do Pão de Açúcar

19 a 22

Campeonato Mundial

Teresina - Pi

29

Passeio de Férias

Agosto

19

Copa Leão Bezerra

Sesc

Setembro

07 a 09

5º Campeonato Brasileiro de Karatê Esportivo e Educacional

Taboão da Serra - SP

23

Copa Dojô Tigre

Outubro

27 e 28

XVIII Campeonato Cearense - Kumitê

Dezembro

16

Exame para Faixa Preta

QUEM SOU EU

Minha foto
Fortaleza, Ceara, Brazil
Educação arte e espote

ARTE MARCIAL

Arte-É definida como criatividade ,habilidade,expressão ou concretizarão de uma idéia ou de coisas que possuem formas e beleza.o domínio de uma técnica ou maneira de ser e/ ou fazer ao que possa mexer em nossa alma corpo ou coração.
Marcial-deriva do marte,Deus da guerra,no panteão romano,irmão de Minerva, deusa da sabedoria.quando falamos guerra,é necessário prestar muita atenção pos este termo representa muitos símbolos.Marcial aqui significa junto com este termo guerra, uma busca em um objetivo de conhecer o seu maior combatente que é o seu (EU)